Você Empregado

Como fazer um currículo estratégico?

Karine Camuci

Siga estes 5 elementos fundamentais no seu currículo e atraia a atenção dos recrutadores.

Às segundas e terças-feiras das 15h às 16h concentram o maior volume de publicações de vagas de emprego e avaliações de currículos por recrutadores. A constatação é de um estudo recente produzido e divulgado pela Vagas.com, empresa de soluções tecnológicas de recrutamento e seleção. 

Segundo o levantamento, as segundas e terças são os dias da semana com maior divulgação de oportunidades de trabalho, com 41% do total. Também são os dias que as empresas mais utilizam para abertura dos currículos (45,8%). Ambas as atividades, segundo o estudo, são realizadas com maior frequência das 15h às 16h (22,1%). Para concorrer a uma vaga é preciso, antes de tudo, ter um currículo estratégico.

Mas, como elaborar um que atraia o interesse dos recrutadores?  

O currículo é uma espécie de cartão de visitas, com a finalidade de apresentar o profissional à empresa, promover suas qualificações e gerar o convite para uma entrevista de emprego, é o seu primeiro contato com a empresa.

Fazer um currículo simples, objetivo e personalizado à vaga em questão é fundamental para colocar um candidato à frente dos demais em um processo seletivo. Os recrutadores costumam analisar e fazer a triagem em questão de segundos. Clareza, nessas horas, é imprescindível.

5 elementos importantes na hora de fazer um currículo estratégico

#1 – De-Para – O profissional precisa “adaptar” o currículo para cada vaga a qual se candidata. Significa mostrar que seu perfil é compatível com o emprego em oferta. Não mande o mesmo currículo para todas as vagas. Ao ler o resumo de qualificações do seu currículo, o recrutador precisa identificar que encontrou um excelente candidato e que vale continuar lendo aquele currículo. Trabalhe as principais palavras-chave, para favorecer as buscas por robôs. 

#2 – Experiência – É importante que as experiências informadas sejam consistentes e relevantes para a oportunidade em questão. O candidato precisa deixar claro como agregou valor e qual foi a sua contribuição para o êxito de projetos anteriores. Ao descrever suas experiências, além de demonstrar seu crescimento profissional, deixe claro qual era a sua responsabilidade na função, atividades desenvolvidas no dia a dia, ferramentas e softwares que utilizados; a que cargo você reportava.

#3 – Resultados – O que diferencia um profissional são seus resultados. É o que os recrutadores gostam de ver. Nesse sentido, se o candidato alcançou metas, implantou propostas de melhorias é válido descrevê-las, por exemplo, em montantes ou porcentagens, de forma sucinta, mostrando o que você agregou para a empresa. Pensa que ao avaliar os currículos, a maioria dos candidatos atende os requisitos da vaga, na média se forem pessoas de um mesmo ramo de atuação, tem a mesma experiência; seus resultados são únicos, é isto que te destaca dos demais concorrentes. 

#4 – Educação – Também vale destacar certificados e diplomas relevantes, desde que compatíveis com os critérios de seleção. Pode inserir formações em andamento, coloque a previsão de conclusão. Caso tenha trancado algum curso/faculdade, e não tiver relação alguma com a vaga de está pleiteando, deixe de fora do seu currículo. O mesmo vale para cursos que não tenham relação alguma com a posição. Deixe no seu currículo apenas as informações relevantes para a posição/empresa em questão. 

#5 – Visual – O layout precisa ser claro e consistente, contendo apenas um tipo de fonte. Recursos como negrito ou itálico podem e devem ser usados, mas apenas para destacar informações específicas, com um modelo simples (Word). Esqueça os modelos de currículos no Canva, bicolunado, ou com elementos que podem desconfigurar ou complicar a leitura dinâmica. 

Aplicando esses elementos no seu currículo, associado as principais palavras-chave da vaga que você quer conquistar, você estará potencializando suas chances de ter o seu currículo destacado no meio da multidão. 

Lembrando que o currículo é sua porta de entrada no processo seletivo. Apenas o currículo não te trará um novo emprego, o que traz um novo emprego é ser aprovado no processo seletivo, que é composto por várias etapas. O Método Você Empregado é uma jornada de conhecimento voltada exclusivamente para quem precisa conquistar um emprego. Detalhe: em até três meses; direcionamento em todas as etapas do processo seletivo.

Estruturado em seis módulos com mais de 30 aulas em vídeo, o Método Você Empregado conduz o aprendizado do candidato a uma vaga de trabalho por meio do Guia da Recolocação Orientada (GRO). Nele, consta o Quadrante da Recolocação, um conjunto dos quatro requisitos fundamentais para se conseguir um emprego: um ‘currículo coringa’ elaborado com foco específico na vaga, um perfil no LinkedIn atraente aos olhos de recrutadores, uma preparação efetiva prévia para entrevistas de emprego e uma sólida rede de relacionamentos profissionais. No decorrer do curso, o aluno terá acesso a uma planilha exclusiva para organização, realização de tarefas e acompanhamento do processo de aprendizado, além de um modelo-base para estruturar (ou refazer) o seu currículo.  

As aulas podem ser acompanhadas via celular, computador ou tablet, com acesso individual e intransferível por meio da plataforma Hotmart. O cliente poderá acessar todo o conteúdo livremente por até um ano, inclusive as atualizações, conforme novas práticas e técnicas forem surgindo. O prazo é grande, mas recomendo acompanhar as aulas quanto antes. Com apenas uma hora de dedicação por dia, em quatro semanas, no máximo, é possível assimilar todo o conteúdo. Acompanhando as aulas e, sobretudo, colocando em prática os conhecimentos adquiridos, o candidato a uma vaga de emprego acelera o seu processo de recolocação no mercado de trabalho.

O aluno que se dedica e aplica por completo o Método Você Empregado coloca-se à frente dos demais candidatos em um processo seletivo de emprego. No entanto, para além de todas as características individuais, como formação e experiência profissional, conseguir um novo emprego está sujeito a fatores circunstanciais que fogem ao controle, como localização geográfica do candidato e conjuntura econômica, por exemplo. Nesse sentido, é impossível garantir quando se dará a conquista de um novo emprego. Hoje, porém, a média de prazo de quem aplicou 100% o método é de 90 dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *